quinta-feira, 13 de junho de 2013

Um dia atarefado, mas com ajuda solidária

Estes dias têm sido um stress, no trabalho as coisas andam complicadas, e hoje, dia de Santo António foi feriado em Lisboa, eu não trabalho em Lisboa mas como muitos dos nossos contactos gozam este feriado, optamos por este em vez do de Oeiras.

Tive alguns afazeres hoje e andei de um lado para o outro, mas queria partilhar algo que me tocou hoje. Há uns tempos deparei-me com a página do facebook da Associação Cris Sacco, e de imediato fiquei tocada pelo que faziam e pela forma como fazem questão de mostrar através das fotos que publicam, o que recebem e o que entregam. Nas minhas arrumações separei bastante roupa e sapatos que vinha a guardar há já alguns anos sempre naquela ideia de um dia poder voltar a usar, mas realmente aquela frase que se ouve "se não usaste no período de um ano dificilmente voltarás a usar" é verdade e decidi ensacar tudo isso, bem como roupa de cama que era do meu avô e cobertores e roupa dele que ainda tinha, alguns brinquedos dos meus sobrinhos que tinha por cá e que eles concordaram em doar, e enchi o carro da minha mammy


E lá fomos nós até São Marcos para entregar estes saquinhos, estavam lá a Cris Sacco e o Nuno, uns amores de pessoas, ficámos logo à conversa, super acessíveis e agradeceram imenso, pois eles ajudam não só as pessoas com dificuldades que lhes vão bater à porta como duas vezes por semana saem à rua para alimentar e vestir sem abrigo. E dizem que recebem muita força deles, que recebem mais do que dão e que existem muitos mais sem abrigo do que aquilo que possamos imaginar e que por vezes aquela é a única refeição do dia. Vou tornar-me associada e ajudar com 5 euros por mês (se pensarmos bem, muitas vezes gastamos mais do que isso em coisas que não necessitamos) e que os ajuda a manter o local para guardar as comidas e artigos para ajudar e a comprar ingredientes para poder confeccionar comida parar levar.
Saí de lá contente por ter ajudado com alguma coisa, contente por nos terem recebido como se fossemos velhos amigos, por partilharem connosco a alegria do que fazem pelos outros, e a recordar-me da sorte que tenho em ter tecto, trabalho, comida....
Se puderem passem na página deles, vejam por vós, partilhem, se também tiverem coisas para doar entrem em contacto, eles tem voluntários em vários locais e podem combinar recolhas, assim ajudamos quem precisa, nunca se sabe se um dia podemos precisar também que nos dê a mão.